Everything Will Be Alright - Capítulo 41



▬ Duas semanas. Duas semanas inteiras num Hospital pareciam mais duas semanas numa ilha deserta. Verginia não saíra do coma por duas semanas, e durante esse tempo, Harry não saiu de perto dela. Ele estava num estado grave. Tanto físico, quanto psicológico. Sua boca e garganta estavam secas, por não beber muita água. Nessas férias, Harry deveria estar em Holmes Chapel, com sua família. Mas o garoto chegou a esquecer sobre. Quase não comia. A fome estava longe do que ele sentia. Seus ossos doíam devida forma como dormia, como: sentado no banco da sala de espera, ou sentado no chão do corredor. Apenas deitava quando dormia no sofá que havia no quarto de Verginia. Mas ele não queria deitar, por não conseguia dormir. Enormes olheiras se formaram debaixo de seus olhos. Os pais de Verginia, iam lá todos os dias – aliás, a Sra. Lopes trabalha naquele Hospital – , e viam como o garoto estava. Após as duas semanas, Lane insistiu para Harry passar o tempo em que Verginia estiver no Hospital em sua casa, pois eram lugares não muito distanciados. Harry aceitou. Ao chegar a casa, Julo abriu-lhes a porta e cumprimentou Harry. Lane explicou a ele que Harry seria o hóspede deles por um tempo, e Julio concordou com a ideia. Harry ficara quieto até um momento. Mas quando Lane tinha acabado de explicar algumas coisas, decidiu agradecer. Um erro. Ele ficara tanto tempo sem pronunciar muitas palavras, que quando forçou a garganta, começou a tossir. Harry conseguiu sentir um líquido a passar por sua garganta e logo curvou-se para o chão e tossiu todo o líquido fora. Sangue. Lane logo se desesperou e correu para buscar um copo d’água. Após beber da água, sentiu-se melhor. ▬

Harry: Obrigado por me deixarem ficar – disse, ainda fraco, como se nada de ruim houvesse acontecido.
Julio: Que nada, Harry. Não precisa agradecer.
Lane: Filho, não quer comer alguma coisa, não?
Harry: Não. Muito obrigado.
Lane: Eu insisto. Por favor!
Harry: Não se preocupem. Eu to bem. É sério. Vou dormir. Boa noite, senhores.
Julio: Ah! Boa noite, rapaz.

▬ Lane levou-o até o quarto onde ficaria. Harry já estava no quarto quando o casal da casa trocou olhares solidários. No dia seguinte, Lane fez a bondade em levar uma bandeja com café da manhã para Harry no quarto onde ficou hospedado. O garoto não conseguiu pronunciar nenhuma palavra além de um bom dia demasiado fraco.

• Um mês em coma •
▬ Alice e Rana seguiam o caminho do hospital em silêncio. Rana atrás do volante e Alice ao seu lado. Era um dia ensolarado na cidade de Londres, incrivelmente. Alice saiu do carro e entrou no Hospital primeiro. Ao chegar no saguão, encontra com Niall e Louis. ▬

Alice: O que fazem aqui?
Louis: Viemos levar Harry para casa, mas ele não está por aqui.
Niall: Aliás, não o vemos já há um tempo.
Alice: Ele continua na casa de Verginia, meninos.
Louis: "Continua"? Nem sabia que ele estava por lá esse tempo todo. Mas tudo bem. Valeu, Ali.
Alice: Nada.
Niall: Ér, Ali. Poderíamos conversar?
Alice: Niall, se não se importa, quero ver como está minha amiga. – sorriu irônica.
Niall: Ah! Eu me importo, sim.

▬ Alice encarou-o irritada. ▬

Louis: OK! Conversem, mas não demorem.
Niall: OK!

▬ Niall puxou Alice até um quarto do Hospital. Ao chegar ao quarto, Alice percebeu que quem ocupava aquele quarto era sua amiga, Verginia. ▬


Alice: Alguma notícia sobre ela?
Niall: Só que a bexiga dela esta entrando numa fase de infecção, sei lá.
Alice: Ah, Deus!
Niall: Pois é. Mas, Ali, não fuja de mim.
Alice: Não estou fugindo de ninguém. – Encarou o garoto.
Niall: Por favor, Ali. – Deu uns passos até ela, o que a fez recuar. – Diga-me o que eu fiz de errado. Sério. Fiquei todos esses dias pensando sobre o assunto, tentando achar uma resposta para argumentar o porquê você me tratou daquele jeito na casa da Rana.
Alice: Você não fez nada de errado, Niall.
Niall: Não é o que parece.

▬ Alice não diz nada, assim como Niall. O único som que fazia-se ouvir naquele ambiente era o do monitor cardíaco. ▬

Alice: Ta! Sou eu! Eu sou fraca, admito. Sou uma fraca estúpida.
Niall: Ei! – protestou.
Alice: Não, Niall. É verdade.
Niall: Você não é fraca. E por que acha isso?
Alice: Porque eu me apaixono facilmente.
Niall: E o que isso tem a ver com nossa conversa?
Alice: Sério, Niall? Você é um lerdo também, hein!
Niall: Ei! O que eu fiz pra você falar comigo desse jeito?
Alice: Tanta coisa!
Niall: Diga-me. O que te fiz?
Alice: Eu... – Cerrou os punhos. – Se lembra de quando me perguntou o motivo para eu terminar com Zayn?
Niall: Lembro.
Alice: É simplesmente você, quero dizer, sou eu. Argh! Somos nós dois a parte. Eu sou uma fraca por me apaixonar, e você é um otário por preencher esse sentimento em mim.
Niall: An?
Alice: É isso mesmo. Me apaixonei por você desde aquele beijo. E... eu só fiz sentir saudades.

▬ E mais uma vez o silêncio invadiu o local por uns segundos. ▬

Niall: Sentiu saudades? – Sorriu.
Alice: Bem...
Niall: Então... Me beija.
Alice: Hein?
Niall: Você ouviu. Me beija.

▬ Involuntariamente, o monitor cardíaco começou a mostrar que os batimentos de Verginia ficaram mais rápidos. Niall riu e encarou Alice, que encarava a amiga, confusa. ▬

Niall: Viu?! Até Verginia apoia meu pedido. – Aproximou-se em pequenos passos. – E então? – Alice virou-se para ele. – Vai demorar muito?

▬ Niall encostou sua testa na dela, olhando fundo em seus olhos. Já Alice olhava em outra direção: os lábios de Niall. Ela queria tanto beijá-lo, mas sentia-se tão insegura. Da última que se entregou, seu relacionamento não durou muito e nem acabou do melhor – nem pior – jeito. Ela fechou os olhos e passou a acariciar o peitoral de Niall. Ele envolveu suas mãos na cintura dela e fechou os olhos. Trincou o maxilar, pronto para sentir os doces lábios de Alice. Já preparada, Alice beija-lhe a bochecha; em seguida, o nariz, o queixo, e assim chegou aos lábios. Selou seus lábios fortemente. Logo aprofundaram o beijo. Como se fosse o primeiro de ambos. Sentimentos inexplicáveis. Mas é isso que nos faz querer mais alguém. Você tenta sempre achar um motivo para sentir com aquela pessoa o que nunca sentiu com outra, e uma explicação pelo que sente em relação a ela. Assim sentiam-se Alice e Niall.

•••
▬ Do lado de fora daquele quarto de Hospital, Louis e Rana conversavam normalmente. A conversa teve os seguintes assuntos: Estudo, Show, Música, O estado de Verginia e, claro, de Harry também. ▬

Louis: Mas como ele ta andando?
Rana: Sabe, normalmente com os pés. Ele até disse que ta fazendo aula de vôo sem asas – brincou.
Louis: Rá! Você é uma graça. Não, mas sério. Conseguiu ser melhor que eu. Parabéns!
Rana: Ué! Ta se achando o comediante dos comediantes, Tomlinson?
Louis: Não, não. Que isso. – Riu. – Mas agora falando sério... Como ele está?
Rana: Na real? Piorando cada vez mais. – Suspirou. – Eu e as meninas vamos à casa de Verginia todos os dias para vê-lo, tentamos animá-lo e nada.
Louis: E eu nem sabia que ele estava por lá. Mas é melhor. Pois achei que ele estivesse dormindo nesse Hospital ainda.
Rana: Ah, mas está. Ele vem aqui todos os dias, e se não fossem os pais da Ve, ele continuaria dormindo aqui mesmo. Harry está sentido. Magoado.
Louis: É. As Directioners estão nos perguntando o que vem acontecendo com a gente, em todas as redes sociais.
Rana: Desculpem por isso!
Louis: Ninguém tem culpa. Essas coisas acontecem. Só relaxa.
Rana: Tudo bem. Mas e você e Harry? Não estão brigados, né?!
Louis: Não. Estamos de boa. Vamos apenas nos mudar.
Rana: Ah! Então era isso que ele estava tentando nos contar. – Expressou uma careta.
Louis: Hm. Espere, "tentando"?
Rana: É. Ele ta mesmo muito ruim.
Louis: Ah, Harry! Harry.

▬ Conversa vai, conversa vem... Até que Alice e Niall aparecem na sala de mãos dadas, o que deixou Rana e Louis boquiabertos. ▬

Louis: Erm... Então, casal feliz?
Niall: Eh, não perde oportunidades, não, Tomlinson?!
Alice: Nem a piada – acrescentou.
Louis: Mas o que deu em vocês pra me chamarem pelo meu sobrenome em todo final de frase? – questionou indignado.
Rana: Cada um com seu jeito. – Ergueu os braços, em rendimento.
Louis: Mas estão mesmo juntos?
Alice: Não sei. Estamos juntos, Niall? – questionou o loiro.
Niall: Ahm... Bem, não oficialmente, mas... É.
Rana: É... ?
Niall: Não pressiona, valeu!? Ainda não.
Alice: Aun... Rana, vamos embora? – Soltou a mão de Niall bruscamente, assustando-o.
Rana: Mas eu nem vi a Verginia.
Alice: Ah, ela esta na mesma. Vamos?
Rana: Não, Ali. Segura aí. Eu já volto.

▬ Rana seguiu caminho ao quarto de Verginia, e Alice bufou. Louis não se decidia em olhar para Niall ou para Alice. Acabou por encarar Alice. ▬

Louis: Ali, eu e meu amigo, Niall, vamos nesse momento visitar nosso amigo Harry. Não se importa, não é?
Alice: Não. Podem ir. Eu fico bem.
Niall: Fica mesmo?
Alice: Cuidado com o que falam pra ele. Ele está muito sensível. – Ignorou Niall.
Louis: Você quis dizer mais sensível! – Riu. – Tudo bem. Até!
Alice: Até!
Niall: Tchau!

▬ Niall pôs-se na frente de Alice e preparou-se para dar-lhe um selinho, mas Alice vira a cabeça bruscamente, fazendo Niall acabar por beijar a bochecha. ▬

Alice: Tchau, Niall – disse ainda com a cabeça virada.

▬ O loiro encarou-a indignado, mas seguiu caminho para fora do Hospital.

• Mais tarde •
▬ Rana estava num shopping, à procura de novas roupas. Dessa vez, mais "felizes". Entrou numa loja e andou direto até uma arara de roupas, onde tinha também uma loira olhando cada peça. ▬

Rana: Sabe, essas roupas são tão lindas. Uma pena que nenhuma esteja cabendo nesse seu corpo de canudo.
Perrie: Como é que é?

▬ Sim, a loira era a Perrie. As duas garotas ficaram de frente uma para a outra, ambas desdenhosas. ▬

Rana: Você ouviu. Não é surda, ou é?
Perrie: Mas é uma palhaça mesmo! Você bem que poderia trabalhar num circo, já que ser cantora nem é pro seu bico.
Rana: Ah. Então pode relaxar. Porque, olha – apontou para o próprio rosto – , não sou Perrie, a ornitorrinco.
Perrie: Olha, eu só não meto a mão na sua cara, porque estamos numa loja de roupas. Então é melhor não me irritar.
Rana: Ah, mas você não sabe o que é irritar. Vem cá. Quem foi que deu essas confianças pra achar que pode encostar sequer um dedo em mim?
Perrie: Olha, garota, vai se foder, vai. Que tal com o Niall. Oh, oh, e o Liam. Aun, você ainda não pegou eles. Mas é uma pena! – disse sarcástica.
Rana: Ta falando do que?
Perrie: Como "do que"? O mundo inteiro sabe que você já deu pro babaca do Harry, pro imbecil do Zayn, a agora, pro estúpido do Louis. – Riu.
Rana: Isso não é verdade! – protestou.
Perrie: Diz isso pra mídia – disse com certo desdém. Deu pequenos e lentos passos até Rana. – Vai aprender a nunca mais roubar o que é meu.

▬ Rana ergueu a sobrancelha. ▬

Rana: Não, eu nunca roubei seu vibrador. Eu não preciso disso. Quem sabe ele não está na sua vagina. Deve ter ficado preso desde a última vez que usou.

▬ Rana deu as costas e deixou Perrie fervendo de raiva ali.

•••
Rana: Estou sendo julgada pelo mundo todo por ser uma puta! – berrou ao adentrar o quarto onde Harry, Liam, Louis, Niall, Zayn, Rachel e Nathalie estavam, da casa de Verginia.
Nathy: Ué. Trocou de profissão?
Liam: Nathalie!
Nathy: É verdade. Você não queria ser cantora? Agora que ta conseguindo, vai desistir?
Rana: Não é isso. O mundo todo me acha uma puta porque acham que já fui pra cama com Harry, Zayn e Louis.
Zayn: Ow! Me tira dessa lista aí.
Louis: Caramba! Isso é sério?
Rana: Sim. Eu encontrei com Perrie e...
Niall: Wow, wow, wow! – Gesticulou com as mãos interrompendo Rana. – Com a Perrie? Por acaso foi ela quem disse sobre isso a você?
Rana: Foi.
Liam: Rana, a Perrie ta de cabeça quente desde que Zayn terminou com ela. Não acredita nas coisas que ela fala.
Harry: Internet – disse e logo recebeu um tapa de Rachel, no braço.
Louis: Isso! Procura sobre o assunto na Internet. Tenho certeza que a Perrie adaptou toda a história.
Rana: Tudo bem.

▬ Rana sacou o celular de sua bolsa e conectou à Internet. Procurou e procurou, até que achou. ▬

Rana: Aqui! Só tem umas fotos de quando Harry saiu da minha casa, de manhã, e de hoje, quando eu e Lou nos encontramos no estacionamento do Hospital, e entramos lá, conversando.
Zayn: E sobre mim? Não tem nada sobre mim aí.
Rana: Bem, só umas imagens também. Mas só porque estamos um do lado do outro. – Guardou o celular.
Liam: Viram!? Não há porque se preocupar.
Rana: Pois é. E você, Harry? Está bem?

▬ Harry levantou a mão com apenas o polegar erguido para cima, mas logo tratou de trocar a posição e seu polegar apontava para baixo. ▬

Rana: Ah, sim. Entendo. Fique bem.
Zayn: Espera! Rana.

________________________________________________

Oi!! É, talvez eu consiga postar todos os dias. Sei lá.

Verginia: Que bom que gostou. Obrigada por divulgar!!

Beatriz: É, eu estava mesmo esperando alguém comentar sobre isso. Eu também que estou focando muito na Verginia (até em Harry), mas é que eu tava doida pra matar logo esse bebê. É isso K.

Bem, tem uma explicação pro Harry ficar mal daquele jeito. Claro que não é só por causa de Verginia. O que vocês acham que seja? Já vou até comentar que vou começar a inventar coisas, hein. Tipo, nem sei se a mãe de Verginia trabalha mesmo num Hospital, mas acho muito chato perguntar.

O que será que Zayn quer falar com Rana? :o

Horanhugs!! xx

Massive Thank You!!!
________________________________________________


8 comentários:

  1. a patricinha que virou maloqueira vai ficar revoltada, séra????? kkkkkkkkkkkkkkkkk eu sou critica, eu sei

    ResponderExcluir
  2. Perrie orintorrinco, essa é boa, rachel me diga, você vai colocar o zayn diretamente pra ficar comigo ? ou eu ainda vou ter outro rolo com o harry e a vivi com o zayn? to curiosa pq né

    ResponderExcluir
  3. essa alice parece até que é a mais velha do grupo '-' vc n ta fazendo isso direito, bjs

    ResponderExcluir
  4. liam e niall são lindossssss

    ResponderExcluir
  5. Eitaa brigaa Perrie X Rana kkk, aii to curiosa pra saber o que irá acontecer, e o que á de errado com o Hazza haha, e bem a minha duvida é a msm da Rana kkk,OMG CONTINUEE FOFA *--*

    ResponderExcluir