I Want You So Bad - Capítulo 4


(o fotógrafo lá no espelho)

- Meninas, é verdade que suas companheiras de Banda, Rana Leifert e Verginia Lopes, estão numa briga para decidir quem ficará com Harry Styles? – Foi uma das perguntas mais esquisitas feitas por um Paparazzo.
Nathalie e Alice viam-se cercadas por Paparazzi naquela manhã, agora nublada. Seguranças do Milkshake City surgiram, ajudando as meninas a entrarem no local desejado. Suspiraram ao perceber que se livraram um pouco das perguntas, porém, os Paparazzi continuavam do lado de fora, a tirarem fotografias. Agradeceram aos seguranças pela ajuda e varreram os olhos por todo o local até avistarem um garoto acenar para elas. Era Derek.
Alice havia marcado de se encontrar com o garoto assim que chegou em casa, na noite anterior. Lembrou-se do ocorrido na casa do Malik e decidiu ligar. Por isso Nathalie a acompanhava; Simplesmente por uma carona.
- Estou feliz porque veio – Alice disse sorridente ao sentar-se a mesa, juntamente com a prima.
- Bem, tínhamos mesmo de conversar, né – Derek disse.
- Desculpa por...
- Ei! – ele a interrompeu. – Não precisa se desculpar por nada. A culpa daquilo tudo foi mesmo minha. Eu fiquei de cabeça quente por um motivo aí.
- E esse motivo é porque está com ciúmes da sua amiguinha? – Alice sorriu.
- Não!
- Tá – ela ironizou.
- Não, é sério. Lice, eu já te disse. Aquele loiro gosta de você. Digo isso porque não quero prejudicar a ninguém dizendo a palavra com “a”, senão eu estaria fodido.
- Derek, não insista – Alice disse num tom cansado. – Cheguei mesmo à conclusão de que você está apenas enciumado.
- Aconselho conversar com ele.
- Estão falando do Niall? – Nathalie perguntou.
- Estamos – Derek afirmou. – Nathy, diga para essa cega que ela não enxerga que Niall está gostando dela.
- Oh, cega, Niall está gostando de você – Nathalie realmente o fez. Sorriu.
- Ah, se for assim – Alice começou – , eu também gosto dele. E daí?
- Ai, meu c... Ele tá apaixonado por você, entendeu? – Nathalie disse, interrompendo-se abruptamente.
O quê? Nunca que Niall James Horan estaria apaixonado por mim – Alice disse.
- É, e vai dizer que aquele meio-beijo também não dá a entender que ele tá louquinho por você – Nathalie disse. – Ah, espera aí. E ele ainda chegou a dizer que te queria. Hm! – murmurou com falsa confusão.
- Hmmm! – Derek provocou Alice.
Alice revirou os olhos.
Mas ela também não conseguia parar de pensar sobre aquele beijo. O que aquilo significou? Um amigo não daria um meio-beijo na amiga e dizer que quer ela. Mas “quer” ela? Como assim?
- Vou pesquisar sobre – Alice pensou em voz alta, olhando um ponto fixo destemidamente.
- Vai perguntar a ele? – Derek quis saber.
- Vou pesquisar sobre – ela repetiu, encarando o amigo agora.
Derek ergueu os braços, em rendimento.



A  D



- Já vou! – Jady gritou para a porta.
A campainha soava freneticamente, ecoando por toda a casa. Coube a ela a responsabilidade em ir atender à pessoa desesperada. Ao fazê-lo, depara-se com Harry e seu  olhar caído, massageando os lábios. Estava pensando.
- Ah, entra – ela convidou, chamando a atenção do rapaz. – Espera na sala, vou chamar Verginia.
Harry riu.
Parecia tão desesperado pela garota?
Julio surgiu da cozinha, sorridente.
- Harry, meu rapaz.
- Oi.  Harry sorriu.
- Quanto tempo.
- Não faz semanas.
- Faz três semanas. – Julio riu, acompanhado por Harry.
Após todo o ocorrido com Harry, Julio pôde confirmar que ele era sim um bom rapaz. Viraram até amigos.
- Muita ocupação – Harry lamentou.
- Mas pra visitar a minha filha você arruma um tempinho – Julio disse com um olhar malandro.
- Bem... – Harry sorriu. – É a vida, né.
- O quê? Não morrer só?
- Também.
Ambos riram.
- Mas o que você quer aqui? – Verginia perguntou, descendo as escadas.
- Ah, esqueci de avisar – Julio disse. – Ela tá na tal época de TPM, então... Com licença. – Virou-se em direção a cozinha. – Ah! – Ele virou-se novamente e agarrou num vaso de cerâmica que se encontrava a cima da lareira de canto, levando-o junto consigo. – Deixa eu tirar isso daqui. Boa sorte – desejou a Harry e finalmente se retirou.
- Nossa – Harry murmurou. – Fiquei com medo agora.
- É pra ficar mesmo. – Verginia aproximou-se, fazendo Harry recuar.
- Calma. Eu só vim levantar a bandeira branca.
- Ótimo. Vaza!
- Espera! Eu recebi um panfleto de um Festival de Filmes no Hyde Park  Harry disse retirando um papel do bolso de seu casaco – , hoje à tarde. Achei que seria legal que fôssemos juntos.
- Por que não chama outra puta? – Verginia revirou os olhos. – Não acredito que eu disse mesmo isso.
- Pois é. Mas você não é... uma puta.
- É só isso?
- Você vai?
- Não. Só isso?
- Poxa, Verginia. Por que tão brava?
- Por quê? Tem certeza que não sabe? Olha, eu acho que você tem que fazer uma enorme operação nesse seu cérebro. Ah, desculpa se te humilhei. Sei que você não tem.
- Vou tentar ignorar tudo o que você tá dizendo. Vem comigo, por favor. É a chance que eu tenho de mostrar pra você que não sou o que você pensa que sou... Mesmo não sabendo o que você pensa que sou.
- Olha, Harry, você é simplesmente o maior idiota de todos os Harry’s.
- Posso saber o porquê?
- Pode, pode sim. Uns dez meses atrás, basicamente. Há uns dez meses atrás, você me levou pra cama, abusou da minha inocência e transou comigo. – Ela foi elevando o tom da voz. – E ainda teve a cara de pau em dizer que me ama. Ha! No dia seguinte, você me acordou todo fofo. Quem diria que por trás daquela máscara, pior que a do Jason, existia o verdadeiro Harry. Quando cheguei à cozinha, você não estava lá. Mas, olha! – exclamou com falsa surpresa, grudando as mãos. – Você deixou um bilhete! E no final tinha escrito “eu te amo” três vezes. Eu. Te amo. Três. Vezes. Harry! – gritou pausadamente. – Sem contar que com esses três foram quatro. Pena que você esqueceu, né? Podíamos realmente ter dado certo? Quero dizer, isso se você quisesse que déssemos.
- Tá, eu admito que vacilei um pouco.
- “Um pouco” é elogio. Aquilo foi o dedo na ferida. E sabe quem é o dedo? Você. Agora cabe a você descobrir quem é a ferida.
Harry abaixou o olhar.
- Meu coração – ela concluiu.
Mas a resposta doeu mais no provocador do que no provocado. Pois... O provocador foi quem provocou tal dor... Não foi?
- OK – Harry disse, com a voz falha. – Eu desisto, então. Vou parar de tentar ser seu amigo.
Verginia sentira tanta dor ao ouvir aquela voz mais rouca e lenta do que nunca. O que fizera fora mesmo o certo? Ela pensava, enquanto Harry caminhava até a porta. Achava que quando se livrasse dele sua mente ficaria menos perturbada. Mas já está tudo feito. A paixão de meses atrás realmente não acabou. Como um feitiço. Não acaba de um jeito fácil, principalmente se for eterno – seja um feitiço ou uma paixão.
Como Harry já se encontrava ao lado de fora, Verginia correu até ele. Seu coração batia tão rápido.
Ele não podia desistir dela. Não tão fácil. Ah, Harry! Por que tão irresistível?
- Não. – Ela parou os movimentos de Harry tocando em sua mão antes que a mesma tocasse o carro. – Eu aceito.
Harry encarou-a, e encarou as suas mãos que continuavam juntas. Ela retirou sua mão de dele abruptamente.
- Eu aceito ser sua amiga. – Verginia sorriu. – Vou a esse Festival com você.
Harry sorriu timidamente.



A  D



- Passo – Rachel disse, encarando as cartas coloridas em suas mãos.
- Então compre mais quatro – disse Gabriel, pondo uma carta na mesa – , e mais quatro – e outra – , opa!, mais quatro – e outra.
- Filho da puta sortudo – ela resmungou.
- Lembre-se que a puta também é sua mãe.
Rachel mostrou o dedo médio ao irmão.
Estava um dia cansativo na casa dos Rocky, então os irmãos pensaram: por que não jogar umas partidas de Uno? É.
Rachel catou doze cartas num baralho ao lado de seu braço. Do lado do outro braço havia seu celular, que começou a tocar.
- Espera – Rachel disse, pegando o celular e atendendo-o. – Que foi, vadia?
- Imagina se não fosse eu, hein – Rana disse. – Vamos sair?
- To ocupada.
- Com o que?
- Te interessa?
- Sim, não tenho nada pra fazer.
- Não tem esquina pra ir hoje, não?
- Não, você não vai, aí fica chato.
- Muito engraçada, você.
- Você quem começou. Mas então... ?
- Pode ser ou tá difícil? – Gabriel apressou.
- Tá difícil. Tá muito difícil.
- Ray, é sério – Rana disse do outro lado da linha. – Estou muito entediada.
- Deixa eu ver. – Rachel parou para pensar. – Que tal uma balada, hoje à noite?
- Estrear na cidade?
- E com estilo.
- Já é. Mas, poxa, aí é só de noite.
- Tá bem. Vem aqui em casa que a gente resolve sobre isso.
- OK, estou indo.
- Te espero.



A  D



- Joga pra mim, Liam! – Louis pediu berrante.
Liam rapidamente jogou a bola de futebol para Louis, que pegou com o peitoral e fez um Freestyle com ela. As pessoas que passavam pela St James Park encaravam Louis, deixando Eleanor em alerta.
- Louis, lembre-se que você é um ótimo fute-não-sei-o-que e cantor. Não chame muita atenção.
Louis riu e devolveu a bola para Liam. Ele caminhou até a namorada e deu-lhe um selinho, sentando-se ao seu lado no banco em seguida.
- Liam – Danielle chamou, manhosa – , larga essa bola e siga o exemplo do seu amigo.
Liam pegou a bola de seus pés e caminhou também até a namorada, mas apenas sentou-se ao lado dela, deixando-a indignada.
- Pronto. – Liam sorriu.
- Tá errado, cara – Louis disse. – Eu beijei ela.
- Você deixou? – Liam perguntou desesperadamente a Danielle.
- Não a mim, a namorada. Ele beijou Eleanor.
Liam suspirou aliviado.
- Pelo visto, nem estava prestando atenção em mim – Danielle disse cabisbaixa.
- Não é verdade. Eu só estava distraído com a bola.
- Esse é o Liam – Louis disse. – Seja qual for a bola, ele sempre se distrai com ela.
Louis ri, acompanhado pelas duas garotas, enquanto Liam apenas arregala os olhos.
- Ahm, Liam? – Niall chamou num tom de culpa.
- Niall! O que você fez? – Liam perguntou assustado com o estado de Niall.
- Caí – ele explicou.
Niall tinha sua camisa branca com umas manchas marrom e rosa. Em uma das mãos, Niall segurava o que deveria ser um cone de sorvete. Sorvete. Tá explicado.
- Mas você é desastrado, hein! – Liam bronqueou.
- Eu sei disso. Também sei que preciso ir para casa, me trocar. E ficar por lá mesmo.
- Tá cansado, é? – Louis perguntou. – Acabamos de chegar.
- Ah, mas quero ficar um pouco só, sabe? Quero pensar.
- Tudo bem, Nialler. – Liam sorriu. – Descansa muito, hein!
- Ha, eu sei. – Niall riu. – Tchau, meninas.
Niall deu um beijo na bochecha das meninas e, só de sacanagem, em Louis também, arrancando gargalhadas dos amigos, mas apenas um risinho calmo de Eleanor.
O loiro caminhou um pouco e, num momento, decidiu tirar sua camisa, que tinha a manga comprida. Não gostava muito da ideia, devida cor muito clara de sua pele. Mas o físico... Mudou bastante. Aliás, era sobre isso que Alice pensava quando parou de andar subitamente e fez seus amigos ficarem confusos. Sim, Alice também estava na St James Park, e seguia Niall com o olhar hipnotizado.
Já Niall, olhava para todo o canto, desejando que ninguém olhasse para ele, e encontrou lindos pares de olhos verdes acastanhados. Os mais lindos já vistos por ele.
- Alice? – ele chamou.
Ela “acordou”, encarando-o nos olhos.
- N-Niall? – Alice gaguejou.
- É, Derek – Nathalie chamou – , vamos ali comprar Hot Dogs?
- Vamos – Derek concordou e logo os dois caminharam para longe.
- É... – Alice começou, mas não prosseguiu.
- Então? Tudo bem contigo?
Alice sorriu timidamente.
- Tudo sim. E com você?
- O mesmo. Vou indo bem. Bom, não tão bem quanto eu queria, mas... – Niall encarou-a receosamente. – Eu... Estou tão feliz por que você voltou – ele confessou com um sorriso no canto dos lábios.
- Não voltei por você, Niall – Alice disse.
- Ah, claro. – Niall retirou o sorriso. – Foi pelo Derek, não?
- Mas que droga, Niall! – ela vociferou. – Será que dá pra você parar de sempre meter o Derek no meio de toda a história e de culpá-lo por tudo? ‘Ah, eu não consigo você por causa do Derek. – Expressava uma voz diferente, a fim de imitar Niall. – Derek é um idiota. Odeio esse Derek’. Para! – rugiu. – Já parou para pensar que você não me consegue, simplesmente pelo fato de eu não querer você?
Niall encarou o chão, começando a se sentir irado.
- Seus olhos me provavam o contrário há um tempinho atrás.
- Aquilo foi um descuido meu. Mas não se preocupe, não voltará a acontecer.
Niall puxou-a pela cintura.
- E quem disse que eu quero isso? – Niall perguntou retoricamente num tom rouco.
- Me solta! – Alice ordenou, empurrando-o pelo peitoral desnudo, hesitante.
- Também não quero isso.
Alice conseguiu soltar-se de Niall e correu, para bem longe dali. Mas Niall a seguiu.
- Alice! – ele gritava por ela.
Alice corria até onde parecia ser um conjunto de árvores. Niall decidiu calar-se e não produzir muito barulho no gramado. Ao chegar lá, Alice abraça os ombros e encara o lago a sua frente.
- Alice – Niall chamou em tom de súplica.
- Me deixa, Niall – Alice pediu mansamente.
- Não dá. Olha pra mim.
Ela não obedeceu. Niall aproximou-se dela e, mesmo por trás, virou seu rosto pelo queixo. Ela encarou-o, perdendo-se naqueles olhos azuis. Lindos olhos azuis. Mas teve de desviar para o chão.
- Niall, não complique nada. – Ela sussurrava.
- Não estou complicando. E-estou tentando... acertar tudo.
- Está complicando minha vida. – Alice sorriu ironicamente.
- Ali, não te entendo. Quero tanto que voltemos a ser amigos.
- Quer mesmo, Niall? Apenas amigos?
Niall encarou o lago, realmente pensando sobre. Alice suspirou.
- Posso te perguntar uma coisa?
- Contanto que não seja uma pergunta constrangedora...
- É um pouco sim. Mas prometa ser sincero.
- Desculpa, mas não posso prometer.
- OK. Então... Você gosta de mim?
- Como? – Niall perguntou assustado.
- Você ouviu, Niall. – Alice cruzou os braços. – Não vou repetir.
- Ahm, é que você me pegou de surpresa.
- Seja sincero.
- Eu não prometi nada.
- Então se disser ‘não’, vou entender como um ‘sim’, e se 'sim', também 'sim'.
- Então tenho que tomar muito cuidado com minhas palavras – Niall disse, balançando o dedo indicador, pensativo. – Posso pensar na resposta?
- Quer pensar na resposta? - Alice perguntou, confusa.
- Foi o que eu acabei de dizer, não foi? Ou falei outra coisa?
- OK, grosso! Pode sim. Agora, tchau. Me deixa aqui.
Niall sorriu e saiu.


Estou criando situações um tanto esquisitas, se não perceberam. Harry está tentando ser “amigo” de Verginia, Niall está tentando ser “amigo” de Alice… Vocês devem ter percebido. Tenho a responsabilidade em pôr uma situação a cada personagem, e elas tendem a ser diferentes, mas isso foi meio que exceção. Só que eu não percebi antes. Masok.

Malikisses!! Eyeluvuall (entendeu?)

7 comentários:

  1. COONTINUAAA..Tá perfeitoo demais, essa temporada está de Parabéns msm, to amando, beeijs *-*

    ResponderExcluir
  2. ui ui zayn! asuhua ameii

    ResponderExcluir
  3. palavras machucam rachel ! machucam rs, continua.

    ResponderExcluir
  4. ta lindo, continua!!!

    ResponderExcluir
  5. cadê os hot? 2º temporada e na 1º só tinha 2 hots e olha lá, vamos com isso ! arma os casais

    ResponderExcluir